13 Comments

A Primeira Vez

O seu nome é Luís; moreno – bastante -, de olhar cálido, não muito conversador, mas sabendo transmitir em cada gesto o que sentia, pensava e queria.
Não foi o primeiro namorado, logo não foi aquele com quem troquei o primeiro beijo, as primeiras carícias. Mas, foi aquele que me fez desejar perder a virgindade e sentir o prazer de fazer amor pela primeira vez. Eu tinha 18 anos, ele tinha 20.
Já nos conhecíamos há muito tempo, nem sei dizer quanto, mas a verdade é que nem tudo é contabilizável. Tínhamos amigos em comum, invariavelmente saíamos juntos, mas nunca nada faria imaginar que resultaria numa relação que durou cerca de ano e meio, com muitas idas e vindas, separações e recomeços.
E numa dessas noites em que saímos, tudo começou. Não me lembro do nosso primeiro beijo, nem onde ou como. Estranho, não é? Mas recordo apenas ele, os momentos que passámos, soltos, sem qualquer ligação cronológica.
Recordo a primeira vez que fizemos amor – a minha primeira, não a dele – e foi doce, terna. Talvez porque escolhemos aquela noite de antemão, porque decidimos qual o local onde queríamos que acontecesse. Desejávamos a noite perfeita. A dor foi rapidamente esquecida pelos seus afagos, pelo carinho e paciência com que me tratou.
Depois de sairmos do bar habitual, passámos pela casa de um amigo comum, onde fomos buscar toalhas de praia. Fomos à farmácia onde comprámos preservativos numa máquina.
Depois, seguimos pelo passeio junto ao muro, a caminho da praia. Demorámos mais de uma hora a chegar ao destino, entre beijos, abraços, risos e carícias – as areias banhadas pela Lua e as águas quase a tocar nossos pés, onde mergulharíamos em seguida.
Assim que chegámos, estendemos as toalhas na areia, juntas, semi-sobrepostas, para nos proteger dos grãos incomodativos. Despimo-nos lentamente, olhando um para o outro, com timidez, receio, e paixão, muita paixão. Ele colocou a caixinha de preservativos em cima da toalha e aproximou-se de mim, tocando o meu rosto e começando por me beijar os olhos, rosto, testa, lábios, com toques suaves que nem penas. Tudo era suavidade entre nós. Fez-me deitar na toalha e deitou-se a meu lado e as carícias continuaram, tocando cada centímetro de pele, fazendo-me sua.
Recordo apenas o quanto tremia de desejo e antecipação, e o quanto ele estava excitado e quente. Apaixonados.
A lua ilumináva-nos e ao longe alguns carros passavam, talvez com mais alguns casais que se espalhavam pela praia em noites como aquela – de Agosto.
Ele foi delicado e entrou em mim com suavidade, tentando, esperando, forçando de novo e, a pouco e pouco foi entrando em mim, fazendo com que me habituásse à sua presença dentro do meu corpo e ao calor que dele emanava.
A dor foi desaparecendo e foi dando lugar ao prazer. Até que ele não conseguiu conter-se mais e teve um orgasmo desenfreado que o fez tremer inteiro. Não parou de me acariciar com os dedos e minutos depois levou-me a mim ao cume do prazer, fazendo com que a minha primeira vez fosse mágica e bela.
Depois, tomámos banho nas águas calmas que nos aguardavam e fizemos amor de novo dentro de água…

© Sutra 2005

About Sutra

Sutra

13 comments on “A Primeira Vez

  1. então foi esse o “malandro” que te despertou para as coisas boas da vida. hum, bem dito seja. não te imagino de outra forma, sem seres assim.

  2. eheheh…que coisa romanticaSmile.
    beijocas. Depois nao queres que eu me apaixone Wink

  3. O desejo decifrado em cada movimento do teu corpo, como um poema perdido que se veste de amor no sopro erótico do inesperado, derramando carícias, para além dos limites do teu corpo…

    Beijos doces

  4. A primeira vez em tudo é algo que nunca se esqueçe. Por vezes recorda-se pela negativa. Felizmente, parece que nao foi o caso, e prevaleçem as boas recordações do momento.

    Um beijo Humido e Bom domingo

  5. Querida Sutra, venho apenas desejar-te boa noite

    beijo doce*

  6. Marco, foi este mesmo. Já não o vejo há mais de um ano, mas cada vez que nos encontramos, há sempre um clime entre nós de carinho, amizade e de recordações. Smile

    Beijo doce para ti e bom Domingo

  7. Penetrador, mas tu és romântico? Wink

    Beijo doce

  8. frog, as tuas palavras são poeticamente belas e fazem suspirar. Smile

    Beijo doce

  9. Minete, sim, este é um recordar pela positiva.
    Wink

    Beijo doce

  10. Myers, um beijo doce para ti também Wink

  11. Smile a primeira vez .. la dizem n ha nada comoa primeira vez .. embora essa deixe sempre a sua marca outras vezes virão sempre todas com a sua marca especial Smile joka

  12. Passo, a primeira deveria sempre ser única, mas para algumas mulheres, infelizmente, ainda são recordações que preferem esquecer. Confused Eu sinto-me feliz por não me encontrar nesse grupo, mas lamento por elas.
    Beijo doce

  13. [...] Depois de já ter aqui falado do Luís, pois foi com ele que fiz sexo pela primeira vez – A primeira vez – e de ter contado um outro episódio com ele, com bastante adrenalina – Na relva – venho nova [...]

Comments are closed.

Recent Images Plugin developed by YD